sábado, outubro 18, 2008

ei, você aí, me dá um dinheiro aí?

Vou fazer um slideshow para você.
Está preparado? É comum, você já viu essas imagens antes.
Quem sabe até já se acostumou com elas.
Começa com aquelas crianças famintas da África.
Aquelas com os ossos visíveis por baixo da pele.
Aquelas com moscas nos olhos.
Os slides se sucedem.
Êxodos de populações inteiras.
Gente faminta.
Gente pobre.
Gente sem futuro.
Durante décadas, vimos essas imagens.
No Discovery Channel, na National Geographic, nos concursos de foto.
Algumas viraram até objetos de arte, em livros de fotógrafos renomados.
São imagens de miséria que comovem.
São imagens que criam plataformas de governo.
Criam ONGs.
Criam entidades.
Criam movimentos sociais.
A miséria pelo mundo, seja em Uganda ou no Ceará, na Índia ou em Bogotá sensibiliza.
Ano após ano, discutiu-se o que fazer.
Anos de pressão para sensibilizar uma infinidade de líderes que se sucederam nas nações mais poderosas do planeta.
Dizem que 40 bilhões de dólares seriam necessários para resolver o problema da fome no mundo.
Resolver, capicce?
Extinguir.
Não haveria mais nenhum menininho terrivelmente magro e sem futuro, em nenhum canto do planeta.
Não sei como calcularam este número.
Mas digamos que esteja subestimado.
Digamos que seja o dobro.
Ou o triplo.
Com 120 bilhões o mundo seria um lugar mais justo.
Não houve passeata, discurso político ou filosófico ou foto que sensibilizasse.
Não houve documentário, ong, lobby ou pressão que resolvesse.
Mas em uma semana, os mesmos líderes, as mesmas potências, tiraram da cartola 2.2 trilhões de dólares (700 bi nos EUA, 1.5 tri na Europa) para salvar da fome quem já estava de barriga cheia.

Daqui, li aqui.

8 Comments:

Blogger Guilherme said...

Fer,

Na verdade porque 99% das mais de 6bilhões que estão na terra estão muito mais preocupada com o próprio pescoço. Leia da sobrevivência? seleção natural?
Tá faltando Madre em Calcutá meu véio.
O resto fica no discurso. Aí vem o Bono Vox, não a bolacha, falar em perdão da dívida dos países pobres e neguinho joga pedra.
O problema é que o mundo está pouco se lichando com o tema.
Queromeu, sacou?
Claro que sacou, o que escrevi não tem nada de novo...

Guiga
Pno (perguntar não ofende) - Madre Teresa era casada? Tinha filhos?

sábado, 18 outubro, 2008  
OpenID Russo said...

Nego, o ponto de que não há interesse em melhorar efetivamente o mundo é algo inegável.

Mas o argumento é fraco, porque não é só uma questão de dinheiro. Vamos brincar:

Digamos que, dos 120 mi da sua estimativa, o Brasil representasse uns 6 mi. Imagine por um instante que a fada dos dentes aparecesse nas terras tupiniquins com essa grana.

Primeira pergunta: para quem (quens? (que horrível)) seria dado esse dinheiro?

Conhecendo esse nosso povo maravilhoso desta terra linda, o que você acha mais provável que fosse acontecer com essa grana: a) ia alimentar as crianças famintas ou b) ia deixar as putas radiantemente felizes num raio de 5000km por gerações e gerações?

Onde existe fartura, existe um bando de filhodaputa tentando mamar nela e tirar dos outros. A pergunta é: quantos % em cima dessa grana estimada seriam necessários para impedir que os filhadaputa roubem a grana?

Bom, o Brasil é um país relativamente pacífico - as nossas várias guerras civis são localizadas e desprovidas de teor político-ideológico. Vá para a África. Tente distribuir os, say, 90 mi destinados a sanar a fome na África, pelos vários povos e países. Claro, você vai dar comida (sem trocadilho), não dinheiro. Mas você leu Duna (você leu Duna, certo?), você sabe que num deserto, quem tem água tem o poder de barganha. Num lugar de famintos miseráveis, quem tem comida, tem poder. Então não importa se você dá papel verde escrito "dollar" ou se você dá lata de sardinha. O efeito é o mesmo - quem tiver a moeda local, seja dólar ou sardinha, tem poder.

Como que você vai tirar aqueles caras de países que a gente não lembra o nome, que mandam em toda a miséria, mas têm rifles e exércitos? Como que você impede esses caras de foder essa salvação do mundo?

Eu não sei essa resposta, mas acho que não é só dinheiro que vai fazer a diferença aí.

domingo, 19 outubro, 2008  
Blogger Ferba said...

Guiga, que saudade!
Mas você está discriminando sexualmente a Madre Tereza. Ouvi dizer que ela se apresentava assim para as meninas:
"Eu sou a Madre Tereza, mas pode me chamar de papi".
Mas acho que é mentira.

Russo,
isso não confirma a tese?
Ou alguém quis gastar 120mi na Africa mas desistiu porque a grana ia virar bola-gato?
Ninguém liga, e o problema é muito anterior ao que aconteceria se de fato tentassem.

domingo, 19 outubro, 2008  
Anonymous Vanessa said...

O capitalismo selvagem vai durar ainda um bom tempo assassinando (sim, pq morrer de fome só pode ser assassinato!) cerca de 29 mil pessoas no mundo todos os dias.
Até quando essa massa vai se calar? Eu sonho com o dia em que essas pessoas terão força pra lutar não só pela próxima refeição, mas pelo alimento de toda uma vida, de toda uma nação.
Enquanto isso não acontece, vou fazendo a minha parte e vou nutrindo minha utopia socialista de quem ainda, um dia, vai ver um mundo melhor, mais justo e igualitário.

Façamos a diferença!

segunda-feira, 20 outubro, 2008  
Blogger Lan said...

Concordo que a corrupção domina e destrói países e populações, porém gostaria de argumentar que o socorro público citado aos bancos não é "dar dinheiro aos ricos" como pode parecer, tentar limitar a crise é salvar renda, emprego, produção, etc. principalmente da camada mais pobre da população, que é sempre quem mais sofre com a redução da atividade econômica de um país.

terça-feira, 28 outubro, 2008  
Blogger Ferba said...

Oi, Lan.

Então, esse comentário faria todo sentido se os dois problemas tivessem surgido ao mesmo tempo; "Oh, temos que escolher, vamos salvar os bancos e a economia mundial ou os africanos?".

Mas a fome está aí há muito tempo e "ninguém" se mexe. Mas é só os bancos começarem a falir e usam dinheiro público para salvar empresa privada.

Abraço,
Fernando

terça-feira, 28 outubro, 2008  
Blogger Ferba said...

Este comentário foi removido pelo autor.

terça-feira, 28 outubro, 2008  
Blogger Polêmica said...

Isso é de indignar qualquer um. Os líderes dos países mais poderosos do mundo têm sim condições de melhorar a vida de todas as pessoas que precisam mas, querem o dinheiro para eles, o dinheiro que é nosso e deveria ser usado conosco!

Beijão!

sexta-feira, 05 dezembro, 2008  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home